Rotarianos clamam por “Paz Sem Fronteiras” no Fórum de Berlim

Por Insa Feye e Arnold R. Grahl, Rotary News

Mais de 1.800 rotarianos, líderes comunitários, estudantes e alumni do programa Centros Rotary pela Paz se reuniram em Berlim de 30 de novembro a 2 de dezembro para promover a paz durante o primeiro Fórum Rotary pela Paz Global.

“A paz é como o pão. Você precisa fazê-lo todos os dias”, disse o ex-presidente do RI, Luis Vicente Giay.

Outros dois Fóruns serão realizados: um em Honolulu, EUA, de 25 a 27 de janeiro e outro em Hiroshima, Japão, de 17 a 18 de maio. A ganhadora do Prêmio Nobel da Paz e membro do parlamento birmanês, Aung San Suu Kyi, será a principal oradora do evento no Havaí.

Este evento do Rotary foi o maior já realizado na Alemanha desde a Convenção do RI em Munique há 25 anos. O público era tão diverso quanto a nacionalidade dos participantes, com rotaractianos, Bolsistas Rotary pela Paz, participantes do Intercâmbio de Jovens e convidados de rotarianos e líderes comunitários. Mais de 100 participantes do programa RYLA do Distrito 1940 também participaram do Fórum.

Declaração de Berlim

Os participantes adotaram a declaração sobre “Paz Sem Fronteiras”, reconhecendo que “todos os seres humanos têm o direito de viver em paz, livres de violência, perseguição, desigualdade e sofrimento”.

Os três locais para os Fóruns Rotary pela Paz Global foram selecionados pelo presidente do RI, Sakuji Tanaka, por terem sido fortemente afetados pela Segunda Guerra Mundial, e agora representam o poder de cura de uma paz sustentável entre as nações.

“Como membro da primeira geração japonesa pós-Segunda Guerra Mundial, entendo a importância da paz e sua conexão com nosso bem-estar”, disse Tanaka. “Trabalhar pela paz é uma tarefa para a vida inteira. Todo dia, 34.000 Rotary Clubs do mundo todo trabalham juntos por um mundo mais pacífico, fornecendo água, saúde, educação e esperança às pessoas que necessitam”.

Meu Momento Rotário

“Todo rotariano têm uma história para contar”, afirmou Tanaka. Algumas destas histórias foram compiladas no novo livro “Meu Momento Rotário“, uma coleção de histórias pessoais escritas por líderes rotários seniores.

Wilfrid J. Wilkinson, chair do Conselho de Curadores da Fundação Rotária, observou que: a construção da paz no mundo é um dos principais elementos da Missão da Fundação, e que os esforços do Rotary para erradicar a poliomielite demonstram como rotarianos podem se unir para superar barreiras de cultura, religião, idioma e conflito.

“Nós podemos criar um dos maiores milagres de erradicação da pólio: Dias de Tranquilidade, quando os envolvidos em conflitos armados ordenam cessar-fogo para permitir que crianças tenham acesso a cuidados de saúde”. disse Wilkinson. “Para salvar as crianças da poliomielite, conseguimos convencer pessoas no Afeganistão, Sudão do Sul e Somália a baixar suas armas. Isso é algo que ninguém mais foi capaz de fazer. Se isso não for criar paz através da Fundação Rotária, não sei o que é”.

Sociedades mais calmas

O secretário-geral do RI, John Hewko, explicou como é o serviço humanitário do Rotary, e que mesmo quando não rotulado, cria comunidades e sociedades mais calmas, mais prósperas e menos violentas.

“Ao ajudar a construir uma sociedade mais saudável e alfabetizada, você está fazendo a coisa mais eficaz para estabelecer paz a longo prazo,” disse Hewko. “Uma sociedade educada, autossuficiente e com seus cidadãos engajados no comércio, na agricultura e na indústria, é simplesmente mais estável e menos propensa a conflitos”.

Cinco ex-Bolsistas Rotary pela Paz participaram de um painel no Fórum. “Gostaria de incentivá-los a entrar em contato conosco e usar os recursos em que investiram tanto”, disse a alemã Brigitta von Messling, da primeira turma de bolsistas em 2002. Constanze Maria Abendroth, ex-presidente da Comissão do Rotaract da Alemanha, fez uma apresentação sobre a perspectiva das Novas Gerações sobre a paz.

Exposição de projetos

Mais de 100 projetos de paz foram expostos no evento; dois deles foram selecionados para receber um prêmio do presidente Tanaka.

Comissões Interpaíses do mundo todo realizaram reuniões durante o fórum, discutindo a pergunta: “Como as Comissões Interpaíses podem fazer uma contribuição mais efetiva às iniciativas de paz do Rotary”?

O ex-presidente do RI, Rajendra K. Saboo, explicou que: o Rotary criou o programa Centros Rotary pela Paz há dez anos para promover pesquisa, ensino, relações públicas e conhecimento sobre questões de paz e resolução de conflitos.

“Nós acreditamos que, ao oferecer oportunidades a bolsistas de vários países e culturas diferentes, eles se transformarão em possíveis líderes em seus respectivos países ou regiões. Eles poderão utilizar o treinamento que receberam para promover a tolerância e cooperação entre os povos, promovendo a paz e compreensão mundial”, disse Saboo.

Rotary Clubs têm patrocinado bolsistas para cursar mestrado em paz e resolução de conflitos em universidades da Austrália, Inglaterra, Japão, Suécia e Estados Unidos. O programa de três meses de aperfeiçoamento profissional foi criado em 2004 na Chulalongkorn University, Tailândia.

About these ads

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s